Série: Paraíso Fiscal, por que existe? (parte 05)

Acompanhe nossa série e saiba o motivo e os riscos da existência de paraíso fiscal

Por: Edgard Rocha, advogado e sócio do escritório Cim Rocha Advogados

Série Paraíso Fiscal: 05 – Os principais Paraísos Fiscais e a Lista Negra

Existem paraísos fiscais em diversas partes do globo, sendo que, em 2017, foram listados 79 países. Entre eles estão: Bahamas, Emirados Árabes Unidos, Honduras, Jamaica, Panamá, Ilhas Virgens Britânicas, entre outros. Atualmente, os principais refúgios fiscais são: Delaware e Manhattan (nos Estados Unidos), Londres, Singapura e Frankfurt. Em Delaware, por exemplo, que é um estado com cerca de 900 mil habitantes, um único prédio chega a ser endereço fiscal de aproximadamente 265 mil empresas, mesmo estando em um país como os Estados Unidos, com políticas que combatem a lavagem de dinheiro.

A lista negra de paraísos fiscais

Criada pela Comissão Europeia, a lista contém praças offshore (contas abertas fora do país de origem, devido ao menor imposto, a chamada elisão fiscal) que não aceitam divulgar informações sobre clientes bancários, tendo em vista o combate à fraude e à evasão fiscal. Alguns dos países que foram inseridos nesta lista são: Mônaco, Hong Kong, Ilhas Maurícias, Panamá, Bahamas, Ilhas Caiman, Ilhas Virgens Britânicas.