Categories
Artigos Avaliação de Risco

Abordagem Baseada em Risco – ABR e a Avaliação Interna de Risco – AIR

A Abordagem Baseada em Risco (ABR) é uma metodologia que permite que as medidas de prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo (PLD-FTP) sejam aplicadas de forma proporcional à natureza dos riscos, de modo a tornar mais eficientes os procedimentos implementados.

Ter um bom programa de prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo não é uma tarefa fácil, seja em decorrência da complexidade do assunto, seja em razão do nível de detalhamento das normas. Dessa forma, torna-se impraticável a aplicação plena de todos os procedimentos de PLD-FTP, em todas as áreas da organização, simultaneamente e com a mesma intensidade de controle.

Com isso em mente, o Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI) recomenda a adoção da ABR, com o intuito de concentrar os recursos e esforços das organizações de maneira mais eficiente à PLD-FTP. O objetivo é a implementação de medidas mais reforçadas onde os riscos são maiores e medidas simplificadas onde os riscos são menores.

 

Além de ser uma recomendação do GAFI, a ABR se insere nas melhores práticas internacionais e foi adotada pelas normas e regulamentações nacionais.

 

ABR e AIR juntas

Porém, para a correta adoção da ABR, é necessário primeiramente identificar os riscos da instituição. É neste ponto que entra a Avaliação Interna de Risco (AIR). Também recomendada pelo GAFI e adotada pelas normas nacionais de PLD-FTP, a AIR estabelece que as instituições devem classificar todos os grupos de seu relacionamento e suas atividades em níveis de risco, de acordo com especificidades de cada segmento e da própria instituição.

A partir dessa classificação de risco, a organização poderá definir as estratégias de PLD-FTP,, implementando os procedimentos de forma proporcional aos riscos identificados. Além disso, a empresa poderá identificar quais são suas principais falhas relacionadas à PLD-FT e estabelecer um plano de ação para corrigi-las, com base na ABR.

Desse modo, a Abordagem Baseada em Risco e a Avaliação Interna de Risco são interdependentes, uma vez que é essencial para uma adequada e prudente utilização da Abordagem Baseada em Risco (ABR) que se tenha realizado em algum momento a Avaliação Interna de Risco (AIR). Ademais, a Abordagem Baseada em Risco (ABR) também se torna essencial na implementação do plano de ação realizado a partir da identificação das falhas na Avaliação Interna de Risco (AIR).

 

Mais sobre a Avaliação Interna de Risco – AIR

Avaliação Interna de Risco é um dos procedimentos de prevenção à lavagem de dinheiro exigidos pelos principais órgãos reguladores. Prevista na Circular 3.978/20 do BACEN, na Resolução 50, da CVM e na Circular 612/20 da Susep, é uma exigência normativa que tem como objetivo identificar e mensurar o risco de utilização dos produtos e serviços da organização na prática da lavagem de dinheiro e do financiamento ao terrorismo. A partir da Avaliação Interna de Risco, é possível desenhar um plano de ação para a mitigação dos riscos encontrados.

 

Ferramenta para Avaliação Interna de Risco

Sua empresa não precisa pagar multas milionárias, muito menos favorecer esquemas ilícitos para lavagem de dinheiro.

Para auxiliar durante todo o processo de identificação dos riscos da instituição, a AML Risco Reputacional desenvolveu a ferramenta AML Avaliação Interna de Risco. Única solução para dimensionar e identificar riscos jurídicos, financeiros, reputacionais, socioambientais e PEPs de acordo com as novas normas.

Garanta uma visão consolidada e gerencial dos riscos em PLD-FTP, de clientes, parceiros, funcionários e prestadores de serviços terceirizados, em conformidade com Bacen 3.978, CVM 50 e Susep 612.

Um dos principais diferenciais da nossa ferramenta é o apoio para a Avaliação de Efetividade.

Entre em contato conosco para entender como o AML Avaliação Interna de Risco pode melhor auxiliá-lo na gestão dos riscos regulatórios e reputacionais de sua empresa.

Categories
Artigos Avaliação de Risco Destaques

Avaliação Interna de Risco em detalhes

Instrumento essencial para empresas e instituições que atuam na prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, a avaliação interna de risco ainda levanta dúvidas sobre sua aplicação, alcance e vantagens. Mas antes de detalhar seu funcionamento, é importante entender exatamente o que ela representa. 

“A Avaliação Interna de Risco é um estudo técnico que tem por objetivo identificar e analisar os possíveis riscos presentes no ambiente das empresas. E é de suma importância conhecer esses riscos para criar controles necessários de prevenção, principalmente quando falamos de instituições financeiras que atuam contra os crimes de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo”, contextualiza Luis Ramiro, diretor especialista da AML Risco Reputacional.

Seja por obrigações legais, como acontece com instituições do sistema financeiro e de outros setores enquadrados na Lei 9.613/98, ou por empresas interessadas em conhecer a fundo suas vulnerabilidades, a avaliação interna de risco sempre começa com um levantamento minucioso, técnico e profundo cujo foco é identificar e avaliar alguns pontos importantes e não exaustivos relacionados aos produtos e serviços da instituição e canais de comercialização. 

“Esse levantamento deve verificar como estão estruturados esses produtos, os controles existentes para identificar situações suspeitas, indicadores e acompanhamento para sinalizar a utilização na lavagem de dinheiro. Deve qualificar também os tipos de serviços prestados aos seus clientes, com o mesmo objetivo de prevenir e mitigar. Sobre os canais de comercialização, é importante avaliar se há mecanismos de controle, regras e relatórios suficientes e eficazes para a identificar os riscos envolvidos”, avalia Ramiro.

Depois de executado o levantamento prévio, é preciso avaliar os riscos aos quais a empresa está exposta em relação às regulamentações, como também seu apetite diante deles, submetendo o resultado dessa avaliação aos órgãos competentes da instituição para conhecimento e tomada de decisão. A partir desta definição é desenvolvido um plano de ação com as medidas necessárias para correção.

Não existe uma área específica onde o processo deva ocorrer, mas é indicado que sejam escolhidos departamentos técnicos, como de compliance, riscos operacionais ou auditoria interna ou externa. E para tornar a avaliação interna de risco mais eficaz e transparente, é indicado contratar uma empresa terceira para sua execução.

“A principal vantagem nesse caso é contar com uma equipe sem vícios dos fluxos, responsáveis pelo processo e modelo de funcionamento daquela instituição que está desenvolvendo a avaliação. E o mais importante: que seja escolhida uma empresa com know how e profissionais com experiência e conhecimento necessários para a realização deste levantamento e a emissão de um relatório preciso”, aconselha o diretor especialista da AML.

Quer saber como a AML pode auxiliar a sua empresa para a Avaliação Interna de Risco?  Entre em contato com nossos especialistas

Categories
Artigos Avaliação de Risco

Como otimizar tempo em análise de riscos e aumentar a assertividade no tratamento de dados?

O mercado financeiro e todas as empresas fiscalizadas pelo Banco Central precisam seguir uma série de medidas contra a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo. A base normativa encontra-se na Lei nº 9.613/98, posteriormente atualizada pela Lei nº 12.683/2012. Nesta legislação estão as diretrizes e principais políticas que de PLD-FT, incluindo a implementação de programas capazes de identificar seus clientes, atualização de cadastros, detecção de transações que possam configurar indícios de lavagem de dinheiro e a revisão dos programas de internos. 

Todavia, no âmbito de prevenção e combate à lavagem de dinheiro, o volume de operações realizadas diariamente no sistema financeiro pode ser encarado como um dos fatores que dificulta as políticas internas de PLD-DT; principalmente se a empresa não conta com o apoio de soluções inteligentes que auxiliem no processo de mineração e tratamento de dados.

Com o uso de tecnologias, é possível consultar, de maneira automática, centenas de fontes e checar a integridade de um determinado cliente. Ela também auxilia nos processos de seleção e a análise de operações e situações consideradas atípicas ou suspeitas.

 

Conheça a principal ferramenta de tratamento de dados

Pensando em facilitar a rotina de quem trabalha na área de PLD-FT, a AML desenvolveu o AML Due Diligence, maior e mais completo banco de dados reputacional da América Latina. Composto por cinco módulos (Mídia Tratada e Listas de Sanções Nacionais, Pessoas Expostas Politicamente, Listas Restritivas Internacionais, Consultas em Diários Oficiais e Informações Socioambientais), garantindo mais 99% de assertividade em pesquisas com a atribuição de CPF e CNPJ, tornando a avaliação de cadastros mais rápida e segura.

Banner E-book PEP

O AML Due Diligence auxilia na realização de processos de diligência, poupando esforços e recursos no tratamento de dados e análises de falsos positivos, pois a mineração é feita previamente por uma equipe de especialistas que selecionam, avaliam e cadastram cada perfil de acordo com a informação desabonadora com a qual ele foi associado.

O banco de dados é atualizado diariamente, garantindo o acesso às informações reais e fidedignas sobre pessoas e instituições. Deve ser utilizado para mitigar riscos de imagem, de maneira que a instituição evite negócios com pessoas e organizações que possam estar envolvidas com a lavagem de dinheiro e os outros crimes conexos com esta prática. Além de ajudar a empresa a prevenir perdas decorrentes de fraudes.

Por fim, ajuda o setor obrigado cumprir com as normas regulatórias, evitando sanções e multas.

 

Ecossistema completo de PLD/FT

Nosso compromisso é proporcionar as melhores soluções e ser a primeira referência de mercado na gestão de risco reputacional.

Tecnologia e Soluções que incluem Avaliação Interna de Risco, Avaliação de Efetividade, dentre outras funcionalidades, em conformidade com Bacen 3.978, CVM 617 e Susep 612.

Agora que você já viu o quanto é essencial contar com o apoio de uma solução tecnológica no tratamento de dados, que tal conhecer mais sobre nossas soluções?

 

AML Due Diligence – Maior banco de dados reputacional do país

Ferramenta para avaliação e classificação de risco de clientes, com foco em PLD/FT, Anticorrupção e Combate a Fraudes.

AML Monitor – Monitoramento de operações suspeitas

Tecnologia para monitoramento e geração de alertas, com foco em PLD/FT, Anticorrupção e Combate a Fraudes.

AML Integridade – Due Diligence de Colaboradores e Terceiros

Plataforma para auxílio aos Programas de Conhecimento, integrada ao AML Due Diligence e adaptável à instituição.

AML Avaliação Interna de Risco

Única solução para dimensionar e identificar riscos jurídicos, financeiros, reputacionais, socioambientais e PEPs de acordo com as novas normas.

Capacitação – Treinamentos Online e Cursos in Company

Conteúdos para PLD/FT, Anticorrupção e Combate a Fraudes, customizados para as necessidades da instituição.

Lista PEP – Pessoa Exposta Publicamente

Mais de meio milhão de perfis CPF / CNPJ e em conformidade com a Circular 3.978 do Bacen, Instrução CVM 617 e demais reguladores.

Entre em contato conosco para entender como podemos auxiliar na gestão dos riscos financeiros, regulatórios e reputacionais de sua empresa.