Xeque-Mate: Em depoimento, Leto Viana dá detalhes sobre esquema de corrupção em Cabedelo

Ex-prefeito citou nomes, deu detalhes dos esquemas e falou sobre a organização infiltrada na administração municipal


O ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, foi ouvido nesta terça-feira (9) numa audiência da operação Xeque-Mate. Esse era um dos depoimentos mais esperados e ele fez revelações. Leto Viana citou nomes e deu detalhes dos esquemas de corrupção na prefeitura da cidade. Ele falou sobre a organização criminosa infiltrada na administração municipal.

Na audiência, o primeiro a chegar no fórum de Cabedelo foi Leto Viana. Ele está preso preventivamente, desde abril do ano passado. Os vereadores afastados Antônio Bezerra do Vale Filho, Lúcio José e Tércio Dornelas Filho chegaram minutos depois, em um carro da segurança penitenciária. Eles também estão presos.

Os réus Adeildo Bezerra, Jaqueline Monteiro Da Franca, esposa de Leto Viana, e Leila Viana, que respondem ao processo em liberdade, também compareceram ao fórum pra serem ouvidos. Neste processo, outros dois réus já falaram: Inaldo Figueiredo e Marco Antônio. Eles estão em liberdade e cumprem medidas cautelares./

Os jornalistas puderam assistir os depoimentos, mas não foi permitido gravar imagens nem de áudios. Nesta terça-feira, o primeiro a falar diante do juiz e dos advogados foi Leto Viana. O depoimento do ex prefeito de Cabedelo começou pontualmente as 9h30. Ele disse que essa organização criminosa existe desde 2007 e começou já com a participação do empresário Roberto Santiago, com o pagamento de propina a vereadores, em troca de favores políticos, ainda pra ampliação de um shoppings.

No depoimento Leto negou que era o chefe da organização criminosa, mas não apontou quem fazia esse papel. Em dos trechos do depoimento, ele afirmou que o ex-prefeito Luceninha queria renunciar e foi convencido pelo radialista Fabiano Gomes e pelo ex secretário de comunicação, Olívio Oliveira, a vender o mandato.

O pagamento foi feito, segundo ele, com dinheiro do empresário Roberto Santiago. Em troca disso, Santiago teria poderes para agir em interesse próprio na cidade, como aconteceu nas negociações, de acordo com Leto, para impedir a construção de um shopping em Intermares.

A terceira audiência desse processo da xeque-mate entrou pela tarde. O ex-secretário de comunicação, Olívio Oliveira, mais conhecido como Olívio Santos informou à nossa produção que confia na justiça e na Polícia Federal, e que está contribuindo pro que for preciso nas investigações.

O advogado ]Gustavo Botto, que faz a defesa de Fabiano Gomes, informou que o que foi dito por Leto Viana não corresponde à realidade dos fatos, e que a defesa vai provar, o que de fato aconteceu, no momento oportuno.

Com relação às revelações de Leto Viana sobre o envolvimento do empresário Roberto Santiago, a defesa do empresário informou que ele não é parte no processo em questão, e que o ex-prefeito “lançou palavras ao vento”. A defesa de Santiago também disse que há muita divergência entre os depoimentos prestados pelos delatores, e que as acusações não estão acompanhadas de nenhuma prova.