Usuário de Bitcoin é preso acusado de lavagem de dinheiro nos Estados Unidos


Morgan Rockwell, CEO de uma empresa chamada Bitcoin Inc., recentemente foi preso por ter utilizado criptomoedas para lavar dinheiro há dois anos, de acordo com as autoridades de Las Vegas, Estados Unidos.

A prisão foi revelada por Rockwell em sua conta no twitter, onde ele publicou uma foto do boletim fornecido pelas autoridades, acompanhado por um texto que diz: “Na sexta-feira, 9 de fevereiro, fui detido em minha casa pelo Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, por causa de uma transação de novembro de 2016 e eu fui liberado sob um bônus de reconhecimento pessoal”.

De acordo com a informação fornecida pelo acusado, a maior transação feita em troca de Bitcoin foi de 9.300 dólares em 2016, quando o limite diário para as transações no país era de 10 mil dólares, por isso ele garante que não violou nenhuma lei.

“Este caso vai criar uma jurisprudência que, se eu não lutar até o fim, vai transformar o Bitcoin em um instrumento para lavagem de dinheiro definido pelo Departamento de Segurança Nacional. Este é um caso muito inconstitucional e muito histórico nos Estados Unidos e requer a atenção de todos os desenvolvedores de Bitcoin e das empresas de Bitcoin”. Morgan Rockwell, CEO da Bitcoin Inc.

A lei para a qual foi sentenciado é o 18 USC 1956 “Lavagem de instrumentos monetários”, na qual se lê que quem, sabendo que o bem ou propriedade envolvido em uma transação financeira e o produto de alguma forma de atividade ilegal, será imputado. “Realizar ou tenta fazer uma transação financeira desse tipo que de fato envolve o produto de uma atividade ilícita especificada”. Nesse sentido, aqueles que fizeram transações em criptomoedas como Rockwell ou sua empresa também poderiam estar envolvidos na acusação:

Embora ele não tenha fornecido detalhes sobre o valor que ele precisava fornecer para a fiança, Rockwell poderia enfrentar US $ 500.000 ou “duplicar o valor da propriedade envolvida na transação, o que for maior, ou a prisão por mais de vinte anos, ou ambos”, conforme estabelecido por lei.