Traders americanos ganharam milhões com fraude informática


A justiça americana indiciou operadores do mercado financeiro que ganharam milhões realizando transações na bolsa de valores com a ajuda de hackers. Graças aos serviços de especialistas em informática, os traders descobriram informações secretas de grandes empresas e, com os dados, direcionaram os investimentos de maneira a multiplicar os ganhos.

Nove traders foram indiciados pelo Departamento de Justiça de Nova Jersey e Brooklyn, acusados de usar informações confidenciais sobre compras e vendas, obtidas graças a piratas ucranianos contratados por eles. Desta forma, eles apostavam na subida ou na descida das ações das companhias visadas.

Os investidores podem ter ganhado ilegalmente até US$ 30 milhões. A comissão de segurança dos mercados financeiros (SEC, na sigla em inglês) abriu uma investigação paralela para apurar o caso. Gigantes como Boeing, Netflix, Ford, Dupont, Delta Air Lines, Hewlett Packard (HP), Bank of America, Caterpillar, Honeywell e Smith & Wesson foram invadidas. No total, 30 empresas foram fraudadas pelos hackers.

Prisões

A fraude começou em fevereiro de 2010 e durou até 2015. Cinco dos nove acusados foram presos nesta terça-feira (11) na Geórgia, Pensilvânia e em Nova York, informou um porta-voz do Ministério da Justiça.

O documento de acusação indica que os operadores davam aos hackers uma lista de empresas que lhes interessavam e explicavam que tipo de informações queriam saber. Cerca de 150 mil dados foram roubados antes da divulgação oficial pelas companhias em questão, em publicações especializadas no mercado financeiro, como Business Wire, PR Newswire e Marketwired.

O procedimento habitual é as informações serem divulgadas simultaneamente. O objetivo é que, ao menos em teoria, todos os investidores na bolsa tenham acesso aos mesmos elementos para tomarem suas decisões.