Suspeita de lavagem de dinheiro coloca bancos na mira do MPF

Órgão apura se instituições financeiras estão omitindo o lucro de traficantes e contrabandistas


O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) apura se os bancos e as cooperativas de crédito da região de Naviraí estão comunicando regularmente movimentações suspeitas ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Ministério da Fazenda. O órgão investiga suposta omissão do processo de lavagem do dinheiro proveniente do tráfico de drogas e contrabando de mercadorias.

A iniciativa é do procurador da República, Eduardo Rodrigues Gonçalves, que instaurou procedimento administrativo para levantar informações preliminares.

O primeiro passo da investigação foi solicitar ao Coaf e ao Banco Central do Brasil (Bacen) quais são as instituições financeiras e cooperativas de créditos existentes na região de Naviraí e o número de comunicações sobre movimentações suspeitas oriundas de cada uma dessas agências.

O MPF ainda questiona Coaf e Bacen sobre estatística do número de comunicação feita em média por cada instituição financeira ou por municípios de origem destes avisos. O órgão pede os números a fim de comparar se as comunicações oriundas dessa região do País estão acima ou abaixo da média nacional ou estadual.