Suspeita de fraude faz governo suspender obras de linha do Metrô

A suspensão das obras da linha Lilás do Metrô, na capital paulista, é consequência da denúncia feita pelo jornal Folha de S. Paulo. O governador de São Paulo, Alberto Goldman, pediu investigações ao Ministério Público e à corregedoria


Sem previsão de seguir adiante. A suspensão das obras da linha Lilás do Metrô, na capital paulista, é consequência da denúncia feita pelo jornal Folha de S. Paulo publicada na edição desta terça-feira (26). O jornal teve acesso aos nomes dos vencedores da licitação de uma obra de expansão do Metrô, seis meses antes do resultado do processo ser anunciado e registrou tudo em cartório e em vídeo.
 
O projeto prevê mais 20 quilômetros de trilhos, a construção de nove estações e conexão com outras duas já existentes. Foi orçado em mais de R$ 4 bilhões.
 
A licitação foi lançada em novembro de 2008, quando o candidato do PSDB a presidência, José Serra, era o governador. Ele deixou o cargo em abril deste ano, época em que a licitação foi suspensa. Em seguida, o Metrô abriu outra concorrência.
 
“Lembro, eu não era mais governador, que o Metrô inclusive anulou uma concorrência porque não gostou dos preços apresentados. Exigiu diminuição dos preços. Isso aconteceu na outra licitação. Portanto do ponto de vista dos custos o Metrô atuou impecavelmente. Se houve ou não entendimento entre os construtores é uma questão que a meu ver deve ser investigada”, diz José Serra.
 
Em nota, o Metrô informou que desconhece qualquer acerto entre as empreiteiras que participaram da licitação. E que procura garantir sempre o menor preço e a melhor qualidade técnica.
 
Além de determinar a suspensão das obras, o governador de São Paulo, Alberto Goldman, pediu investigações ao Ministério Público e à corregedoria. Ele também disse que não houve prejuízo financeiro para o estado.
 

“Não havia sido iniciada nenhuma obra e nem um tostão foi gasto e de qualquer forma nós paralisamos até que tudo isso pudesse ser esclarecido”, declara o governador de São Paulo.