Sete servidores públicos de Laranjeiras do Sul são presos por suspeita de corrupção

Delegado-chefe da 2ª Subdivisão Policial do município, dois investigadores, dois escrivães, um funcionário da prefeitura de Laranjeiras do Sul e um da prefeitura de Nova Laranjeiras que trabalhavam na delegacia foram detidos


Sete servidores públicos foram presos em Laranjeiras do Sul, na região Centro-Sul do Paraná, nesta quinta-feira (11), suspeitos de terem praticado o crime de corrupção passiva. O delegado-chefe da 2ª Subdivisão Policial do município, dois investigadores, dois escrivães, um funcionário da prefeitura de Laranjeiras do Sul e um da prefeitura de Nova Laranjeiras que trabalhavam na delegacia foram detidos.
 
Os mandados de prisão foram cumpridos em Laranjeiras do Sul, Guarapuava, Santa Helena, Rio Bonito do Iguaçu, Cascavel e Foz do Iguaçu.
 
A operação para a prisão dos servidores foi feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná (MP-PR) em parceria com a Corregedoria-Geral da Polícia Civil.
 
De acordo com o promotor de Justiça Claudio Cesar Cortesia, coordenador do Gaeco de Guarapuava, o delegado e os dois investigadores teriam recebido R$ 10 mil para liberar um caminhão que transportava cigarros contrabandeados, em 13 de outubro. O veículo foi apreendido posteriormente pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) .
 
Os outros quatro servidores são suspeitos de cobrar R$ 400 de uma pessoa que teriam prendido ilegalmente.
 
O promotor afirmou que a pessoa que teria sido presa ilegalmente denunciou os escrivães e os dois funcionários das prefeituras. Já no caso da liberação da carga de contrabando, foram feitas denúncias anônimas.
 
O delegado e os dois investigadores tiveram a prisão temporária decretada pelo juiz Bernardo Fazolo Ferreira. Já os dois funcionários das prefeituras e os dois escrivães tiveram a prisão preventiva decretada pela juíza Márcia Hubler Mosko, segundo a subseção de Laranjeiras do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
 
Além dos sete mandados de prisão, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão. Segundo Cortesia, uma arma, mil reais, e documentos foram apreendidos.
 
A corrupção passiva ocorre quando funcionários públicos solicitam ou recebem uma vantagem indevida.
 
O MP-PR afirmou que a operação resultou em duas ações penais contra os servidores públicos.
 

A subseção de Laranjeiras do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) informou que nenhum dos servidores presos havia contratado advogado até as 10h15 desta quinta-feira.