‘Senhor das Armas’ chega extraditado a Nova York

Governo americano acusa o russo Viktor Bout de vender armamento a terroristas


O suposto traficante de armas russo Viktor Bout, conhecido como "Senhor das Armas" e "Mercador da Morte", desembarcou em Nova York, nos Estados Unidos, na noite desta terça-feira (16), depois de ser extraditado da Tailândia.
 
Ele foi levado a uma penitenciária de segurança máxima em Manhattan, anunciou a Secretaria de Justiça americana.
 
O russo comparecerá nesta quarta-feira (17) a uma audiência com o juiz Shira Scheindlin. O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, disse que Bout foi indiciado nos EUA, mas as atividades de tráfico de armas das quais é suspeito, assim como o apoio aos conflitos armados na África, preocupam o mundo intero.
 
– A extradição é uma vitória para o estado de direito em todo o mundo.
 
Bout foi preso em Bancoc, capital da Tailândia, em 2008, após uma reunião com agentes americanos que se fizeram passar por dirigentes da guerrilha colombiana das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).
 
Em entrevista, a mulher do russo, Alla Bout, disse que o marido foi "objeto de um procedimento ilegal" e que é vítima de um jogo diplomático entre Rússia e EUA.
 
– A decisão do governo tailandês é totalmente contrária aos procedimentos legais e à lei.
 
Alla disse ainda que ficou sabendo da extradição pela imprensa e que seu passaporte ainda está na Embaixada da Rússia em Bancoc. Bout foi levado ao aeroporto de Bancoc escoltado por centenas de policiais, incluindo atiradores de elite.
 
A decisão provocou uma reação irritada da Rússia. O chefe da diplomacia do país, Serguei Lavrov, disse que a extradição de Bout constitui uma extrema injustiça e que a Rússia o continuará apoiando por todos os meios.
 
EUA dizem que russo vendia armas para terroristas
 
O russo será julgado nos EUA por ter supostamente vendido armas às Farc, incluindo mísseis terra-ar, fuzis de assalto AK-47, explosivos C-4 e minas antipessoais.
 
Segundo o FBI (Polícia Federal Americana), Bout também tentou adquirir uma bateria antiaérea e conspirou para assassinar cidadãos americanos, crimes passíveis de prisão perpétua nos EUA.
 
Os serviços de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) e do Reino Unido (MI6) acreditam que o russo dirigiu durante anos uma das maiores redes privadas de contrabando de armas.
 
De acordo com os relatórios da CIA e do MI6, Bout negociou pessoalmente com regimes sanguinários na África e na Ásia, com ditadores como o liberiano Charles Taylor e com o terrorista Osama bin Laden, que pagava à vista as encomendas para a rede Al Qaeda.
 
A biografia de Bout inspirou o filme O Senhor das Armas (2005), protagonizado pelo ator americano Nicolas Cage.