Seminário sobre PLD-CFT reúne representantes do BC e profissionais de mais de 70 instituições financeiras


Aconteceu na última quinta feira, em São Paulo, o seminário "As novas normas do BC e seus impactos nas atividades de PLD-CFT", organizado pela AML Consulting, em parceria com a Associação Brasileira de Bancos Internacionais – ABBI.

Para visualizar as fotos, clique no link abaixo:

O evento, que contou com a participação de representantes do BC e de profissionais de mais de 70 instituições financeiras, foi iniciado com uma palestra de Alexandre Botelho, sócio diretor da AML Consulting, que destacou as principais dúvidas decorrentes do marco regulatório de 2009 e apresentou algumas práticas de mercado relacionadas a cadastro de clientes, atualização cadastral, política Know Your Customer – KYC e Pessoas Politicamente Expostas – PEPs. Na sequência, Botelho destacou os principais desafios impostos pela nova regulamentação do BC, mais especificamente as circulares 3.583/12 e 3.584/12 e a carta-circular 3.542/12, publicadas em março deste ano.

Na sequência, Ricardo Liao, chefe do Departamento de Prevenção a Ilícitos Financeiros e de Atendimento de Demandas de Informações do Sistema Financeiro do BC apresentou um panorama geral sobre a evolução da regulamentação a partir de 2009, visando cumprir compromissos assumidos junto ao Grupo de Ação Financeira Internacional – GAFI. Liao também apresentou alguns destaques relacionados aos trabalhos de inspeção e fiscalização realizados pela autarquia durante o último ano, ressaltando pontos positivos sobre melhores práticas de mercado, mas também apresentando aspectos que requerem melhorias, como por exemplo o treinamento de funcionários, visando capacitá-los a lidar com situações de risco relacionadas a PLD-CFT.

Carlos Donizeti Macedo Maia, chefe do Departamento de Supervisão de Bancos e Conglomerados Bancários do BC, ressaltou a correlação entre as atividades de PLD-CFT e as boas práticas de governança corporativa, dando ênfase à importância do estabelecimento de uma política institucional pela alta administração e a necessidade de sua ampla divulgação a todos os funcionários da instituição financeira, estabelecendo suas obrigações e atribuições de PLD-CFT. Maia destacou ainda o risco de Compliance, lembrando que as falhas no cumprimento de leis, normas e mesmo de diretrizes internas da instituição podem ocasionar risco legal e sanções regulatórias, como também resultar em perdas financeiras e impactos negativos na reputação das instituições.

Na parte final do evento, foi aberto um fórum de debates, ocasião em que Geraldo Magela Siqueira, chefe da Gerência Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros do BC se juntou aos demais palestrantes para esclarecer as principais dúvidas dos participantes.