Richa, esposa e filho viram réus por lavagem de dinheiro na lava jato

A Justiça Federal aceitou a denúncia por lavagem de dinheiro e tornou réus o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), a ex-primeira-dama Fernanda Richa, um dos filho do casal, André Richa, e o contador dela, Dirceu Puppo na Operação Lava Jato; segundo o


A Justiça Federal aceitou, na noite de quarta-feira (13), a denúncia por lavagem de dinheiro e tornou réus o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), a ex-primeira-dama Fernanda Richa, um dos filho do casal, André Richa, e o contador dela, Dirceu Puppo na Operação Lava Jato. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o tucano recebia propina das concessionárias de pedágio no Paraná e lavava o dinheiro comprando imóveis que eram colocados no nome da Ocaporã, Administradora de Bens.

Fernanda Richa é dona dessa empresa, junto com os filhos André e Marcello Richa.

Neste processo promotores investigam a compra de um terreno em um condomínio em Curitiba, em 2012. André Richa e Dirceu Puppo, que atuava como administrador da Ocaporã, acertaram a compra.

De acordo com o MPF, o valor da compra foi de R$ 1.950 milhão – desse total, André Richa pagou R$ 930 mil em dinheiro vivo, mas na escritura o valor que consta é o de R$ 505 mil. O imóvel ficou em nome da Ocaporã.