Relatório da ONU mostra que o Brasil virou rota do tráfico internacional de drogas

Um terço da cocaína produzida na América do Sul é destinada ao mercado brasileiro, onde as drogas predominantes ainda são cocaína e maconha.


Um relatório da agência das Nações Unidas contra drogas e crime, divulgado nesta quinta-feira (23), faz um retrato preocupante sobre o Brasil. O país aparece como um dos grandes centros de consumo e distribuição de cocaína.

No auditório em Brasília, um resumo da venda e do consumo de drogas no mundo. No relatório feito pela Organização das Nações Unidas, o Brasil aparece na posição de grande consumidor.

Um terço da cocaína produzida na América do Sul é destinada ao mercado brasileiro. No país, as drogas predominantes ainda são a cocaína e a maconha.

O relatório da ONU aponta que o Brasil foi o país mais usado por traficantes para transportar a cocaína produzida na América do Sul para a Europa. A comprovação está nas apreensões feitas nos países europeus de droga que tinha passado pelo Brasil: em cinco anos, os flagrantes subiram mais de dez vezes.

Foram 25 apreensões desse tipo em 2005, contra 260 em 2009. A quantidade também aumentou: de 334 quilos para 1,5 tonelada. O Brasil também aparece como principal fornecedor de cocaína para a África.

Ao contrário do que se vê nas ruas, o consumo de crack no país não tem destaque no relatório.

O governo brasileiro diz que está intensificado as ações de vigilância contra o tráfico internacional.

“O esforço para o enfrentamento do problema mundial das drogas não é de nenhum país isoladamente. Isso não pode ser feito por um país isolado. O governo, nesse sentido, está junto com os vários ministérios trabalhando de forma integrada para o enfrentamento desse problema”, disse Vladimir de Andrade, diretor de Assuntos Internacionais do Ministério da Justiça.