Presas 20 pessoas na Itália por lavagem internacional de dinheiro


Um total de 20 pessoas foram presas hoje aqui acusadas de pertencer a dois grupos dedicados à lavagem internacional de dinheiro, um deles vinculados ao tráfico de drogas.

O primeiro, segundo a informação oficial difundida por vários meios, era dirigido por dois empresários romanos e supostamente reciclou 15 milhões de euros pertencentes à comunidade chinesa na província de Milão, mediante a emissão de faturas sobre operações inexistentes.

A empresa falsificadora transferia por sua vez o dinheiro a uma conta bancária de outra em Londres, controlada por testas de ferro chineses envolvidos no negócio.

A investigação realizada por políciais do Núcleo Investigativo do Comando Provincial de Roma apoiado por unidades de Milão, Bari, Vicenza, Pordenone, Viterbo e Campobasso, envolveu também outro grupo na qual lhe acusa a lavagem de três milhões de dólares provenientes do narcotráfico.

Um dos presos, indicaram as mesmas fontes, é um comerciante do setor de automóveis usados detento anteriormente por fatos similares vinculados à denominada Quadrilha da Magliana.

A investigação em curso -apontou- está relacionada com outra seguida contra um contador encarcerado no dia 16 de novembro de 2015, pelos delitos de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica de bens com métodos mafiosos.