Pré-candidato do PSDB ao governo de MG é indiciado pela PF por lavagem de dinheiro


Candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, o ex-ministro das Comunicações Pimenta da Veiga foi indiciado pela Polícia Federal (PF) por lavagem de dinheiro. Pimenta recebeu R$ 300 mil das agências de publicidade do operador Marcos Valério.

De acordo com a PF, o dinheiro foi desviado no mensalão mineiro, esquema de caixa-dois que o Ministério Público Federal (MPF) apontou desvio de verbas públicas do estado para abastecer a campanha de reeleição do ex-governador Eduardo Azeredo, em 1998. Em depoimento, Pimenta e Valério sustentam que o valor se referia a pagamento de honorários advocatícios. Porém, eles não apresentaram documentos que comprovariam os serviços prestados.

À Agência o Globo, o tucano declarou nesta quarta-feira que não é competência do prestador de serviços pesquisar a origem de recursos. Segundo Pimenta, o dinheiro foi depositado em sua conta corrente por empresa que, na época, tinha reputação inabalável.

– Recebi horários por serviços de advocacia prestados. Se agora os recursos foram identificados como sendo de origem ilícita, não se pode ligar ao prestador de serviços. Não é competência do prestador de serviços investigar a origem dos recursos – declarou.