Poroshenko é interrogado por lavagem de dinheiro e alta traição


– O ex-presidente da Ucrânia e líder do partido Solidariedade Europeia, Petro Poroshenko, foi nesta quinta-feira ao Escritório Estatal de Investigações do país para ser interrogado sobre 11 processos penais abertas contra ele.

Entre as acusações estão as de alta traição, abuso de poder, lavagem de dinheiro, evasão de impostos, tentativa de usurpação de poder e criação de um gabinete de ministros ilegal em 2016, já que não existia uma coalizão no Parlamento.

“Apesar de hoje ter marcada uma reunião com estrangeiros (…), tive que adiá-la e reagir às insinuações contra mim”, disse Poroshenko ao ex-chefe de governo do ex-presidente Victor Yanukovich, Andrei Portnov, e ao Escritório Estatal de Investigações.

Portnov entrou com um processo na entidade, no qual acusa Poroshenko de lavagem de dinheiro e evasão de impostos durante a venda de uma fábrica de sua propriedade.

Segundo ele, o ex-presidente ucraniano lavou US$ 300 milhões de dinheiro ilícito através de companhias em paraísos fiscais e assinou um acordo inexistente por conta de fundos supostamente roubados do Exército da Ucrânia.

O ex-chefe de Estado já tinha sido citado em 17 de julho, mas não compareceu ao interrogatório ao alegar que precisava participar de uma reunião do Parlamento Europeu em Estrasburgo.