Polícia prende casal suspeito de comandar quadrilha de lavagem de dinheiro com vale-refeição do RJ

Segundo investigação, dupla movimentava cerca de R$10 milhões por mês e tinha 200 empresas ilegais.


Os empresários Nivaldo Gomes Pereira e Fabiana Silva Lima Pereira foram presos nesta quinta (4) sob suspeita de comandarem a maior quadrilha de estelionatérios de compra e venda de vales refeição e alimentação do Rio de Janeiro.

Segundo as investigações da Delegacia de Defraudações, o casal movimentava ilegalmente mais de R$10 milhões por mês e abriu cerca de 200 empresas fantasmas, em nome de laranjas. Além da prisão temporária, a Justiça também autorizou o bloqueio das contas bancárias do casal e das empresas das quais são donos.

Contra eles havia mandados de prisão temporária expedidos pela 2ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Em janeiro, os foram alvo da Operação Fantoche, que investigava a quadrilha. Na ocasião, a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao casal e conseguiu entrar no escritório de agiotagem de Nivaldo, no Centro do Rio.

O local funcionava como uma agência bancária, comprando benefícios de trabalhadores e emprestava dinheiro de forma ilegal – fora do mercado de crédito legítimo. Foram apreendidas mais de 130 máquinas de cartão, dinheiro e diversos documentos, que ajudaram a polícia a comprovar a participação da esposa de Nivaldo no esquema de agiotagem, segundo os investigadores.

Ainda nesta quinta, além de prender o casal quando saíam do apartamento onde moram na Glória, Zona Sul do Rio, a polícia também interditou o escritório que continuava funcionando clandestinamente.

A dupla controlava um escritório no centro do rio com validadores de cartões e vale-transporte para descontar benefícios de trabalhadores de forma ilegal. A polícia chegou a ter acesso a filmagens onde o grupo validava os cartões e vales para descontar benefícios de trabalhadores de forma ilegal.