Polícia investiga possível esquema de lavagem de dinheiro em casa de jogos de salão


Policiais da 9ª DP (Catete) começaram uma investigação para apurar a suspeita de lavagem de dinheiro que estaria sendo realizada na Associação Desportiva de Jogos de Salão, localizada na Rua do Catete, 182, no edifício do antigo “Bingo Catete”, presidida pelo italiano Roberto Gandolfi, 54 anos.  O local foi interditado na última segunda-feira. O estabelecimento havia sido interditado anteriormente pela Corregedoria da Polícia Civil, pela distrital e pela Polícia Federal, que apreenderam  todos os equipamentos.
 
De acordo com o delegado titular da unidade, Pedro Paulo Pontes Pinho, a interdição foi feita pela ausência do documento do Corpo de Bombeiros, que comprova que o prédio está com as vistorias em dia, e também porque o alvará de funcionamento expedido pela prefeitura do Rio é para uma casa lotérica, atividade que não era desempenhada no local.

Ainda segundo o delegado, o principal ponto da investigação é a denúncia de que,  jogadores de poker, conhecidos como “Texas Hold” frequentavam o local para  torneios, após o pagamento de uma taxa de inscrição, baseado em um decreto federal de 1961. O certame  era realizado sem autorização de nenhuma autoridade estadual. No local, também eram  feitas apostas do jogo conhecido como bingo de cartela. No estabelecimento não foram encontrados apostadores.

De acordo com o delegado Pedro Paulo, foi solicitado a Justiça a  quebra de sigilo bancário e fiscal dos diretores do estabelecimento e será pedido a Polícia Federal que através da Justiça sejam removidas as cadeiras, mesas, para que o estabelecimento não volte a funcionar clandestinamente.