Polícia Federal faz operação contra o tráfico internacional de armas em Rio Claro

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, dois de condução coercitiva e um de prisão.


A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (24) a Operação Senhor das Armas, para reprimir o tráfico de armas e lavagem de dinheiro. Em Rio Claro (SP), foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, dois de condução coercitiva e um de prisão. O resultado da ação será divulgado em coletiva de imprensa a partir das 15h.

As investigações da PF começaram em maio do ano passado, quando a Receita Federal comunicou à delegacia da PF em Campinas que havia apreendido grande quantidade de peças de armas de fogo e munições de calibre restrito.

Na ocasião uma carga procedente de Miami (EUA) que seguiria para o Aeroporto Internacional de Vitória (ES) teve sua rota desviada por condições meteorológicas e foi recepcionada pela alfândega no Aeroporto Internacional de Viracopos.

Armas de fogo

Ao realizar a verificação física da carga, a Receita Federal constatou divergências entre o informado no manifesto de carga e os itens constantes, que contabilizaram 41 peças de arma de fogo de calibre restrito (fuzis) e 850 munições.

Após a comunicação da apreensão, a PF iniciou investigação que contou inclusive com a cooperação internacional do órgão da PF nos Estados Unidos e de autoridades americanas do U.S. Immigration ans Customs Enforcement (ICE).

Em setembro de 2016, foram então apreendidas diversas peças de fuzil em uma empresa na cidade de Hialeah/Flórida, do principal investigado, que seriam remetidas para o Brasil.

Na ponta brasileira da investigação foram localizados os envolvidos, alvos da operação de hoje, suspeitos da prática de tráfico internacional de armas de fogo de uso restrito, bem como da ocultação e/ou dissimulação da origem e movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, do tráfico internacional de armas de fogo, acessórios e munições.