Polícia do Equador desmantela quadrilha que lavou US$ 1 bilhão no país

EFE


Quito, 10 set (EFE). As autoridades do Equador desmantelaram uma quadrilha internacional dedicada à lavagem de dinheiro que efetuou no país transações de cerca de US$ 1 bilhão, informou nesta quinta-feira o Ministério do Interior em comunicado.

Cinco pessoas foram presas pela Polícia como resultado das investigações sobre o grupo radicado no Equador há pelo menos cinco anos e que “provocava uma fraude massiva no sistema financeiro da Rússia”, destaca a nota divulgada hoje.

A investigação começou em 2014, quando os agentes encontraram uma tonelada de drogas com destino ao Kuwait em um contêiner da empresa Exbafrut que deveria exportar bananas.

A Exbafrut pertencia ao grupo Grafindustric e tinha como acionista o russo Dmitry M., representante legal do grupo econômico JFC no Equador, investigado pelo Ministério do Interior da Rússia por uma fraude de US$ 159 milhões.

Enquanto Dmitry, procurado pela Interpol, está foragido, as autoridades locais conseguiram prender cinco pessoas pelo envolvimento no caso, informou o ministro-adjunto do Interior, Diego Fuentes.

A organização criminosa injetou no país, através do grupo financeiro, os US$ 159 milhões, resultado da lavagem de dinheiro para dar aparência de legalidade a empresas, fazendas e outros negócios.

Desde 2005 até o momento, a quadrilha movimentou no país mais de US$ 1 bilhão, indicou o ministério no comunicado. Os lucros das empresas eram fictícios e administrados por sociedades fiduciárias que enviavam os recursos “limpos” à conta de Dmitry, líder do grupo, acrescentou o governo do Equador.