Polícia desencadeia maior operação contra lavagem de dinheiro no RS

Ação visa quadrilha relacionada ao traficante Xandi, morto em janeiro


A Polícia Civil desencadeou na manhã desta quarta-feira o que é considerada a maior operação de combate à lavagem de dinheiro oriundo do narcotráfico no Rio Grande do Sul, relacionado ao traficante Alexandre Goulart Madeira, o Xandi, morto em janeiro, e seu grupo. O objetivo é cumprir 46 mandados de busca e apreensão, 15 de prisão, 13 conduções coercitivas e 19 sequestros de bens.

As buscas estão sendo feitas em Canoas, Florianópolis, Porto Alegre, Santa Maria, Santo Antônio da Patrulha e Viamão. Os bens, móveis e imóveis, que estão sendo sequestrados somam o valor conjunto de mais de R$ 5,5 milhões, relativos a um grupo criminoso que movimentou mais de R$ 18 milhões nos últimos 3 anos.

Durante a operação, onze pessoas foram presas – entre elas, a viúva de Xandi. Doze táxis foram apreendidos. Eles eram usados no esquema de lavagem de dinheiro da quadrilha. A Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) anunciou que os veículos tiveram as permissões suspensas.

A operação Laranja Mecânica, coordenada operacionalmente pela Divisão de Inteligência e 3ª DIN do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), com apoio do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos, tem participação de 370 agentes e delegados, de todos os departamentos da Polícia Civil.