PF prende integrantes de quadrilha especializada em tráfico de mulheres

Quadrilha aliciava mulheres para que se prostituíssem no exterior. Além das oito pessoas que já foram detidas, a polícia ainda está cumprindo outros sete mandados de prisão preventiva


A Polícia Federal prendeu na madrugada desta quarta-feira (16) oito pessoas suspeitas de tráfico internacional de pessoas e lavagem de dinheiro em Belém, no Pará.

A quadrilha aliciava mulheres para que se prostituíssem no exterior, principalmente na Guiana Francesa e no Suriname. Além das oito pessoas que já foram detidas, a PF ainda está cumprindo outros sete mandados de prisão preventiva, dez de busca e apreensão e cinco de condução coercitiva (quando o suspeito é conduzido para prestar depoimento).

Depois de aliciadas, as mulheres eram mantidas em dois hotéis de Belém que pertenciam a integrantes da quadrilha, até que fosse preparada toda a documentação necessária para elas serem transportadas ao exterior. Uma das vítimas foi localizada pelos policiais vivendo de forma precária num garimpo no Suriname. Dependente de drogas, ela estava grávida.

Doleiros

A organização criminosa usava operações financeiras ilegais para dificultar a identificação dos recursos arrecadados no esquema. A PF estima que a quadrilha tenha movimentado aproximadamente R$ 54 milhões só no último ano.

Eles recorriam ao mercado de câmbio negro e usavam intermediários para comprar moedas estrangeiras com doleiros em São Paulo (SP), Manaus (AM) e Macapá (AP). Para coibir as práticas de crimes financeiros e tráfico de pessoas, a Polícia Federal deflagrou duas operações simultâneas, batizadas de "Check In 2" e "Raabe".

A investigação contou com o apoio da Infraero e da Secretaria Estadual de Direitos Humanos do Pará. Os suspeitos vão responder pelos crimes de organização criminosa, câmbio ilegal, lavagem de dinheiro e tráfico de pessoas.