PF investiga grupo envolvido com jogo do bicho em Cataguases, MG

Operação de busca e apreensão foi realizada no município. Documentação leva a indícios de lavagem de dinheiro, diz delegado.


O delegado da Polícia Federal em Juiz de Fora, Cláudio Dornelas, realizou uma coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (9) para informar sobre uma operação realizada em Cataguases. Os trabalhos foram concentrados na sexta-feira (6). Na ocasião foram cumpridos mandados de busca e apreensão. “Temos uma farta documentação que leva a indícios da prática de lavagem de dinheiro e de outras contravenções penais”, afirmou.

Segundo o delegado, o grupo atua na região em cidades como Cataguases, Leopoldina e Miraí, e está envolvido com a prática do jogo de bicho. Ainda de acordo com o delegado, uma das atividades econômicas do grupo era o turismo.

O inquérito está aberto na 4ª Vara Federal em Belo Horizonte, especializada em crimes econômicos e contra a administração pública. A operação contou com a participação de um efetivo formado por 30 policiais federais com o apoio da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do município. Conforme o delegado, o caso estava sendo investigado há cerca de um ano e seis meses. “O grupo é forte e já vem atuando há algum tempo em vários ramos de atividade econômica”, informou Dornelas.

Se for comprovada a participação dessas pessoas, elas podem responder por lavagem de dinheiro.

O delegado disse ainda que não poderia revelar detalhes sobre o valor movimentado pelo grupo, mas adiantou que a PF acredita ser elevado. Segundo ele, os malotes com a documentação serão abertos a partir desta terça-feira (10). A PF também não soube precisar o número de envolvidos, no entando, já identificou nomes de algumas pessoas. “A partir de agora iremos nos debruçar sobre os documentos para encontrar elementos de prova. O que for encontrado de crime será apurado”, explicou.