PF faz ação contra grupo de estelionatários que agia na fronteira

São cumpridos mandados de busca e apreensão no Rio Grande do Sul e em mais seis Estados.


A Polícia Federal deflagrou operação nesta quarta-feira para reprimir crimes contra o sistema financeiro nacional, falsidade documental, estelionato e lavagem de dinheiro. Estão sendo cumpridos 33 mandados de busca e apreensão no Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal.

As investigações iniciaram em fevereiro do ano passado, com suspeitas de que os crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro estavam ocorrendo na fronteira do Estado com a Argentina.

O grupo investigado captava recursos de terceiros para serem empregados nas transações de compra e venda de títulos da dívida pública, em sua maioria falsificados. Além disso, alguns documentos eram utilizados para servir de lastro financeiro em financiamentos internacionais e como ativos financeiros para inflar patrimônio de empresas.

Os captadores prometiam reembolsos variáveis de 10 a 20 vezes o valor investido e, até o momento do resgate integral, antecipavam quantias, girando com os recursos. Em uma das células da quadrilha foi identificada uma mulher que se fazia passar por ministra de Tribunal Superior para obter vantagens econômicas.

Os trabalhos de investigação foram desenvolvidos em parceria com a Receita Federal. A operação foi batizada de Grammata, que é a ciência grega que estuda as letras e o alfabeto, pois os principais títulos da dívida pública negociados pelos investigados consistiam em Letras do Tesouro Nacional.