PF confirma redução de efetivo da Lava Jato no Paraná


Em nota oficial, a Polícia Federal em Brasília afirmou neste domingo (21) que conta com efetivo “adequado à demanda existente para trabalhar” nas investigações a crimes de combate à corrupção e lavagem de dinheiro. A nota confirma que houve redução do efetivo da Força-Tarefa Lava Jato. (Leia abaixo a nota na íntegra)

Desde o início do ano, o número de delegados federais caiu de nove para quatro, que são responsáveis pelos 180 inquéritos em andamento. A informação foi divulgada neste domingo pelo Jornal Estadão.

O efetivo reduziu de 60 para 40 agentes, que não tem mais atuação exclusiva. A força tarefa sofre com o corte de 44% do orçamento de custeio para este ano previstos pela União.

A PF afirma na nota que a “adequação” está relacionada às “inúmeras investigações a partir das últimas delações homologadas pelo Supremo Tribunal Federal”.

“Diante desse cenário, o contingente de policiais federais especializados no combate à corrupção e lavagem de dinheiro em todo o país tem sido readequado, de acordo com as demandas de todas as unidades da PF, o que inclui a Superintendência Regional no Paraná”, diz a nota assinada pela Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal, por Brasília.

O Ministério da Justiça também confirma a redução para todas as áreas, mas reitera, em nota, que isso não deve afetar as ações da Lava Jato.

No mês passado, o delegado Márcio Anselmo, que iniciou as investigações, foi transferido para Vitória, onde assumiu a Corregedoria da PF, no Espírito Santo e não foi substituído.

Este é o primeiro corte de custeio nas investigações da operação, registrado nos últimos três anos, quando se iniciou a apuração das denúncias envolvendo a Petrobrás. A previsão do Orçamento da União de 2017 para o Ministério da Justiça é de R$ 13 bilhões. Deste montante, somente para a Polícia Federal, são R$ 6 bilhões.

Leia a nota da PF:

“Sobre a matéria “Governo reduz equipe da Lava Jato e corta verba da PF”, publicada hoje (21/05) pelo jornal O Estado de São Paulo, a Polícia Federal informa:

1. Estão sendo instauradas inúmeras investigações a partir das últimas delações homologadas pelo Supremo Tribunal Federal;

2. Cerca de quinze unidades da Federação, com destaque para o Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, tem recebido informações e materiais provenientes desses acordos;

3. Como é de conhecimento público, outras inúmeras operações de grande envergadura estão em andamento em vários estados;

4. Diante desse cenário, o contingente de policiais federais especializados no combate à corrupção e lavagem de dinheiro em todo o país tem sido readequado, de acordo com as demandas de todas as unidades da PF, o que inclui a Superintendência Regional no Paraná;

5. Por sua vez, a própria Superintendência Regional no Paraná entende que o efetivo atual está adequado à demanda existente. Caso haja necessidade, haverá reforço de policiais;

6. A Polícia Federal reafirma seu compromisso público de trabalhar arduamente no combate à corrupção e na elucidação dos casos investigados.”