PCC intensifica ações e PF passa a monitorar fluxo de dinheiro do tráfico de drogas


Com apreensão de drogas em alta no Estado de São Paulo, a Polícia Federal monitora o fluxo de dinheiro do tráfico de quadrilhas e facções criminosas.

De acordo com a própria PF, cerca de 17 toneladas de cocaína foram apreendidas em território paulista no ano passado. Isso corresponde a 35% do entorpecente que foi interceptado em todo o país.

O litoral paulista é o principal local onde as apreensões ocorrem; só no Porto de Santos, a PF confiscou 12 toneladas de cocaína ao longo de 2017. Isso tem a ver com a atuação do Primeiro Comando da Capital; a maior organização criminosa brasileira é a grande controladora do fluxo de drogas a partir do terminal paulista.

As apreensões devem ser ainda mais volumosas neste ano. Se as autoridades interceptam apenas uma parte dos entorpecentes, outra parte está abastecendo os cofres dos criminosos.

O superintendente da Polícia Federal em São Paulo disse que, em várias oportunidades, a corporação já verificou o tráfico andando junto com a lavagem de dinheiro. Apesar disso, o delegado Disney Rosseti afirmou à PF que ainda não detectou que o PCC esteja limpando os valores fora do país.