Parque aquático, bufê e carros de luxo estão na lista de bens sequestrados de facções no Ceará

Investigações se concentram na lavagem de dinheiro, atuação de 'laranjas' e utilização de contas bancárias em paraísos fiscais fora do Brasil


Uma casa de veraneio com parque aquático era anunciada como oportunidade de lazer na Praia da Caponga, em Cascavel, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Fotos em redes sociais anunciavam um espaço com piscinas, toboágua e chuveiros, além de varandas amplas e gramado, disponível para aluguel, em um dos destinos mais procurados no litoral cearense. No entanto, o local foi identificado pela Polícia Civil como investimento de uma organização criminosa e foi sequestrado pela Justiça.

O grupo em questão, desarticulado em dezembro de 2018 pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), era liderado por Antônio Fábio da Silva Araújo, o “Bim Araújo” ex-vereador de Pacatuba. Hoje, ele é denunciado por crimes de lavagem ou ocultação de bens e organização criminosa.