Operação Radar apreende mais de R$ 2 milhões em dois dias de buscas

Quantia estava em imóveis no Oeste e Litoral de SC, e em Barracão (PR). Busca ocorreu em casas e empresas de suspeitos de lavagem de dinheiro.


Policiais federais resgataram entre esta quarta (28) e quinta-feira (29), cerca de R$ 2 milhões  arrecadados de forma ilegal nas cidades catarinenses de Balneário Camboriú, no Litoral, e Dionísio Cerqueira, Oeste, além de Barracão (OR). O valor foi encontrado dentro de imóveis de pessoas investigadas por lavagem de dinheiro e sonegação fiscal pela Operação Radar, deflagrada no dia 14 de maio.

Ela é resultado das investigações que buscam identificar os envolvidos de uma quadrilha que realiza crimes de gestão fraudulenta de instituição financeira, operações fraudulentas de câmbio, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. A investigação calcula que os suspeitos tenham desviado R$ 86 milhões em transações financeiras. Os policiais também procuram beneficiados deste sistema financeiro paralelo e nas pessoas utilizadas como laranjas.

De acordo com delegado-chefe da Polícia Federal de Itajaí, Luciano Eduardo Raizer, nenhuma pessoa foi pega em flagrante nesta quarta e quinta. "Cumprimos apenas o mandato de busca em imóveis de pessoas que já haviam sido presas na primeira etapa da investigação. Foram casas e estabelecimentos comerciais que tinham correlação com os nomes das pessoas físicas e jurídicas da associação criminosa", explica. Ele informa que as oito pessoas presas no dia 14 respondem ao inquérito em liberdade.

O maior valor encontrado foi em um imóvel comercial em Barracão, no Paraná. Em uma caixa de papelão, R$ 1,836 milhão e  61,504 mil dolares em dinheiro estavam armazenados. O locatário do comércio diz que não sabia da existência da caixa. O imóvel pertence a um dos investigados. Também foram apreendidos R$ 70 mil e 10 mil dolares escondidos em um armário de um apartamento em Balneário Camboriú. Em Dionísio Cerqueira, R$ 93 mil estavam em uma empresa.