Operação investiga uso de empresas fantasmas em esquema de lavagem de dinheiro

São 26 mandados de busca e apreensão em seis cidades


Uma operação que investiga uma rede de empresas fantasmas utilizadas em esquemas de lavagem de dinheiro e propina foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (11) pela PF (Polícia Federal). A 4ª fase da Operação Descarte tem 26 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Mogi das Cruzes, Taubaté, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Nova Lima.

A 2ª Vara Federal Criminal de São Paulo negou o pedido de prisão feito pela PF para os suspeitos envolvidos no esquema.

A nova operação é batizada de “E o Vento Levou”. Os alvos são empresas e residências de pessoas citadas na investigação.

A PF tem indícios de que R$ 40 milhões foram movimentados no esquema. O dinheiro estaria sendo usado para pagamento de propina num projeto de energia elétrica que teve a participação de empresas privadas e uma pública.

O objetivo da operação é apurar o desvio de dinheiro da Cemig Geração e Transmissão por meio do aporte de R$ 850 milhões na empresa Renova Energia SA.

O dinheiro teria sido convertido em espécie e distribuído. 

A investigação surgiu a partir da delação premiada do doleiro Alberto Youssef, personagem central da Operação Lava Jato.