Operação da Polícia Federal resulta na prisão de 33 pessoas por contrabando de cigarros, armas e munições


A operação denominada "Arquipélago", desencadeada pela Polícia Federal, ontem, em 13 municípios gaúchos, resultou na prisão de 33 pessoas acusadas de contrabando de cigarros, armas, munições e agrotóxicos, das quais dez foram recolhidas ao presídio de Santa Rosa e 23 para o estabelecimento carcerário da capital missioneira.
 
A ação comandada pelo delegado da Polícia Federal, Antar Aires Nasser, que teve início simultaneamente nos 13 municípios, às 6h30min, resultou no cumprimento de 27 dos 31 mandados de prisão preventiva, 44 de busca domiciliar e dez de busca e apreensão de veículos. Quatro mandados de prisão ficaram em aberto. Sete pessoas foram presas em flagrante por manterem em depósitos, cigarros, agrotóxicos, armas e munições de origem estrangeira introduzidas ilegalmente no país. Foram apreendidos ainda 730 pacotes de cigarros contrabandeados do Paraguai e encaminhados à Delegacia da Receita Federal.
 
A operação mobilizou um total de 306 servidores da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Brigada Militar e Receita Federal. Foram empregadas ainda 119 viaturas. 
 
Conforme levantamento divulgado pela PF, foram presas 13 pessoas em Crissiumal, uma em Doutor Maurício Cardoso, duas em Frederico Westphalen, três em Ijuí, uma em Novo Machado, duas em Palmeira das Missões, uma em Pelotas, cinco em Santo Ângelo, uma em Tiradentes do Sul, uma em Três de Maio e três em Três Passos.
 
Enfoque Principal
 
Em oito meses de investigações realizadas pela PF, foram identificados 22 grupos de contrabandistas. Em entrevista coletiva concedida à imprensa, ontem pela manhã, o delegado Aires, acompanhado do chefe da Delegacia Regional da PF, José Fausto Ariolli, do auditor fiscal da Receita Federal, Sérgio Crestani, e do tenente-coronel Iguaraçu Ricardo da Silva, comandante em exercício do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) Fronteira Noroeste de Santa Rosa, enfatizou que o enfoque principal desta operação foi combater o contrabando de cigarros, além do comércio ilegal de agrotóxicos e armas.
 
Aires destacou que neste período de investigações, foram efetuadas 77 prisões, das quais 66 indiciados presos. "Alguns foram detidos mais de uma vez", justificou o delegado.
 
Foram apreendidos ainda 47 veículos, 444.400 maços de cigarros, sete armas de fogo, 30 caixas de munições de diversos calibres, quatro rádios transmissores, 30 quilos de agrotóxicos, dezenas de telefones celulares, dinheiro e cheques.