Operação antimáfia em Nápoles fecha restaurante de Cannavaro


Uma grande operação antimáfia realizada nesta quinta-feira em Nápoles (Itália) deteve até o fim da manhã (pelo horário local) três pessoas, fechou 17 restaurantes e promoveu a abertura de um inquérito sobre um chefe de polícia.

A operação, solicitada pela Direção do Distrito Antimáfia Napolitana, investiga pessoas ligadas ao clã "Lo Russo", da Camorra.

De acordo com fontes policiais, as investigações se centram em atividades de agiotagem e lavagem de dinheiro, sobretudo por meio de investimento de capital ilícito em restaurantes e bares localizados em cidades de várias partes da Itália, como Bolonha, Gênova e Turim. Entre os estabelecimentos fechados em Nápoles está o "Regina Margherita", que tem entre seus sócios o jogador Fabio Cannavaro, capitão da seleção italiana que conquistou a Copa do Mundo de 2006.

Um dos investigados na operação é o chefe da esquadra móvel dos carabineiros de Nápoles, Vittorio Pisani, acusado de favorecer o empresário Marco Iorio com a revelação de notícias relativas à investigação em curso. Iorio, por sua vez, é acusado de ser o chefe de um grupo dedicado a lavagem de dinheiro e corrupção de oficiais públicos.