O mapa da corrupção


A partir de um relatório do maior escritório e líder nacional do mercado de soluções e serviços de prevenção á lavagem de dinheiro, a AML Consulting divulgou recente análise da prática de crimes financeiros e corrupção no Brasil. O estudo evidencia um ambiente hostil para as empresas aturem no País tamanha corrupção instalada.

A análise revela que prefeitos, vereadores e deputados federais são os cargos mais vinculados a crimes de corrupção. Se o estudo fosse só em Rondônia, certamente os deputados estaduais pontuariam melhor.

São 9.897 do total de 12.608 e são cargos ocupados por políticos eleitos que estão envolvidos em crimes econômicos o que corresponde a 78,5 por cento. Mais da maioria dos envolvidos na Lava a Jato, que somam 916 cargos, também é formada por políticos eleitos diretamente pela população – quase 57 por cento ou 522.

E pasmem: dos 11.171 prefeitos e vice-prefeitos eleitos em 2016, 1833 já estão envolvidos em crimes de diferentes naturezas.

Foro privilegiado

A previsão é que nesta terça-feira, dia 30, o Senado vote em segundo turno a Proposta de Emenda a Constituição que acaba com o foro especial, prerrogativa de função mais conhecida como a PEC do Foro Privilegiado. Integram a pauta de votações na próxima semana pelo menos seis medidas provisórias e entre elas a que autoriza a cobrança de preços diferentes para compras em dinheiro ou em cartão de crédito.

Cargos federais

Os integrantes da bancada federal de Rondônia pertencentes à base aliada do governo Michel Temer em nosso estado estão com os cabelos em pé com a possibilidade da possível troca presidencial no Planalto. Ocorre que os deputados federais e senadores ligados ao presidente Temer tem dezenas de cargos indicados nos órgãos federais, como INCRA, Eletrobrás, etc. São cargos polpudos e de visibilidade.

Unindo o PMDB

Depois que recebeu a garantia do presidente estadual do PMDB Valdir Raupp de que ele será o candidato ao governo do partido na eleição de 2018, o deputado estadual Maurão de Carvalho (Região do Café) trata de unificar a legenda e começa a coisa com a articulação de uma homenagem para o governador Confúcio Moura na ALE. O ato marcará uma demonstração de força do partido e a largada de Maurão.

Fundo partidário

Só em janeiro foram destinados recursos na ordem de R$ 58 bilhões para o fundo partidário. Os principais beneficiados foram o PT, PMDB e PSDB que receberam a parte do leão, por terem maior representatividade no Congresso Nacional. Algumas siglas acabaram ficando de fora

do bolo por não terem prestado contas ao TSE. No ano que vem aumentará o numero de partidos recebendo os recursos, pois pelo menos 30 estão em fase de legalização.

Lei do Migrante

Depois de meses tramitando no Congresso Nacional, a Lei da Migração foi aprovada em plenário e em seguida sancionada. A lei define os direitos e deveres do imigrante e do visitante no Brasil; regula a entrada e permanência de estrangeiros no País e estabelece normas de proteção aos brasileiros no exterior. A lei foi publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira.