MPF-RJ investiga desde 2013 ditador africano que deu dinheiro à Beija-Flor

Doação de Theodore Obiang à Beija-Flor também está sendo investigada. Entre os imóveis do ditador, estão um prédio em São Paulo e dois no Rio.


O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro confirmou nesta sexta-feira (20) que iniciou em setembro de 2013 uma investigação contra o ditador de Guiné Equatorial, Theodore Nguema Obiang, por lavagem de dinheiro. A suposta doação de Theodore à Beija-Flor para o carnaval de 2014, em que a escola usou o país como tema, também está sendo investigada.

Segundo o MPF, o crime de lavagem de dinheiro consiste na dissimulação da natureza de valores provenientes, direta e indiretamente, de infrações penais.

Pelo menos três imóveis de Obiang estão sendo investigados no Brasil. Um no bairro Jardins, em São Paulo, de US$ 15 milhões; outro em Ipanema, na Zona Sul do Rio, de R$ 80 milhões; e um apartamento projetado por Oscar Niemeyer em Ipanema, estimado em US$ 10 milhões, que pertencia à construtora Andrade Gutierrez.

Em nota, a Andrade Gutierrez negou que tenha vendido o imóvel de Ipanema a Obiang. A empresa afirma que fez uma venda legal de um imóvel a um cidadão brasileiro sem qualquer relação com Guiné Equatorial.

De acordo com o documento assinado pelo procurador da República Orlando Lemos Cunha, a ONG Transparência Internacional apresentou uma ação contra dirigentes africanos que possuíam bens em outros países. Segundo ele, há fortes indícios de que Obiang “dissimula a origem de valores desviados do governo equatorial, bem como os crimes de corrupção e branqueamento de capitais”.

Entre os inúmeros bens de Theodore Obiang apreendidos na França, por exemplo, estão 11 automóveis de luxo, um relógio avaliado em 598 mil euros, duas jarras de porcelana avaliados em 220 mil euros, três jarros avaliados em 500 mil euros, uma cômoda avaliada em 2,8 milhões de euros, além de um prédio de 5 mil metros quadrados.

Nos EUA, onde também é investigado, Obiang teria acumulado US$ 700 milhões entre 1998 e 2004, além de uma mansão avaliada em R$ 30 milhões.