MPE denuncia delegado por extorsão e lavagem de dinheiro


Detido em março passado por corrupção, o delegado afastado de Sete Quedas, Rinaldo Gomes Moreira, acusado de receber propina para não prender criminosos e ofertar benefícios a bandidos capturados na delegacia, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por extorsão e lavagem de dinheiro.

A assessoria do promotor de Justiça Marcos Alex Vera, chefe do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), órgão vinculado ao Gaeco, foi quem confirmou a denúncia. A Justiça, contudo, ainda não se manifestou, isto é, não definiu se acatou ou não a ação.

Conforme informação divulgada no dia da prisão, os investigadores do caso descobriram um depósito de R$ 5 mil na conta do delegado, dinheiro recebido para aliviar a situação de um criminoso que deveria ser mandado para a prisão.

O delegado ficou detido em Campo Grande por cinco dias. Ainda segundo a denúncia, o delegado cobrava uma espécie de “taxa” de prisioneiros interessados em regalias na delegacia, como uso de internet, telefone ou assistir a televisão.

A assessoria do Gaeco não informou a razão de a mulher do delegado e o filho dele terem sido incluídos na denúncia.