MP desvenda fraude com pedras ornamentais que deu prejuízo de R$ 250 milhões


VITÓRIA – O Ministério Público do Espírito Santo, em parceria com a Receita Federal, a Receita Estadual e a Polícia Militar, desvendou um esquema de sonegação de impostos no setor de rochas ornamentais.

Pelo menos 77 empresas estariam envolvidas nas fraudes que, segundo as investigações, resultaram num rombo de R$ 250 milhões aos cofres públicos nos últimos cinco anos. As fraudes fiscais eram cometidas no Espírito Santo e no Rio de Janeiro.

Durante a operação Gênova, realizada nesta quarta-feira por 140 agentes, foram cumpridos 21 mandados de busca e apreensão em cidades capixabas e fluminenses. Documentos e computadores foram apreendidos em escritórios do sindicato das empresas, em residências e em corretoras de seguro. Uma pessoa foi presa, mas não teve o nome divulgado.

O crime acontecia na contratação do seguro para transporte da mercadoria, que é obrigatório. A ação tinha a conivência de empresários, um corretor de seguros, uma seguradora com atuação nacional e o Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais (Sindrochas). O Sindirochas não quis se manifestar.

A empresa emitia nota fiscal com o valor da metade do bem, fazendo um pagamento à seguradora, por meio do sindicato, que correspondia ao dobro disso – explicou a delegada da Receita Federal Laura Gadelha.