Lobista condenado na Lava Jato pede extinção da pena por prescrição de crimes


O lobista Jorge Luz pediu nesta quarta-feira (13) ao juiz Sérgio Moro a extinção da pena aplicada a ele em cinco dos seis crimes pelos quais foi condenado.

Jorge Luz foi condenado a 13 anos e 8 meses pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em razão do envolvimento dele em pagamentos de propina relacionados a contratos do Grupo Schahin com a Petrobras para o navio-sonda Vitória 10.000.

No pedido enviado a Moro, os advogados do lobista argumentam que os casos de corrupção e lavagem prescrevem em 12 anos, mas, como Jorge Luz tem 74 anos de idade, se encaixa em artigo do Código Penal que reduz à metade o prazo de prescrição das penas.

A defesa alega, portanto, que os fatos que ocorreram entre os anos de 2006 e 2010 não devem mais ser objeto de punição.

De acordo com os advogados, somente uma transferência realizada em 13 de dezembro de 2011, no valor de US$ 150 mil, referente ao contrato de operação do navio-sonda, deve ser considerada na sentença.

Moro pediu a manifestação do Ministério Público Federal no prazo de 5 dias.