Lavagem de dinheiro na mira da polícia

Tema foi abordado em curso da Polícia Civil em Erechim


Mais de 30 agentes, entre delegados, inspetores e escrivães da Polícia Civil do Alto Uruguai, participaram de um curso cujo objetivo é o combate do crime de lavagem de dinheiro. O encontro técnico foi realizado em Erechim durante toda a sexta-feira (7) na Universidade Regional Integrada (URI). O palestrante foi o delegado, Márcio de Abreu Moreno, titular da Delegacia de Polícia de Repressão ao Crime de Lavagem de Dinheiro (DRLD), inaugurada em novembro do ano passado na Capital.  

 

De acordo com o policial o encontro buscou apresentar algumas técnicas investigativas aos agentes, além dos métodos e novas ferramentas de combate ao crime. “Tratamos de temas como técnicas de investigação, ferramentas de análise, legislação, processos e tipos de lavagens. Nosso foco principal é intensificar as investigações e repressão ao crime de lavagem de dinheiro, além de coibir a atuação de organizações criminosas que utilizam essa prática”, destaca. 

Conforme Moreno, o crime de lavagem de dinheiro tem apresentado um crescimento no RS, principalmente por parte de quadrilhas envolvidas com o tráfico de drogas, que precisam se desfazer do dinheiro recebido de forma ilícita com a venda dos entorpecentes. “Podemos afirmar que são inúmeros os casos e investigações que demonstram que este modelo de crime, tem se tornado cada vez mais comum em todo o Estado. Os criminosos utilizam este mecanismo para evitar que o dinheiro sujo, seja apreendido e também para que esse valor não se caracterize como prova de outros crimes”, finaliza Márcio. 

Para a delegada regional da Polícia Civil, Diana Casarin Zanatta, o curso realizado através de uma parceria da 11° Delegacia Regional da Polícia Civil (11°DPRI) e da Polícia Civil da capital gaúcha, vem como um auxílio no trabalho policial. “A ideia partiu da necessidade de estarmos em constante aprimoramento. Encerramos 2016 com uma capacitação de tiro, agora entramos em 2017 com este curso, nosso objetivo é manter o treinamento dos policiais em dia e buscar a qualificação cada vez maior na parte da inteligência, intercalando entre a parte técnica e teórica, sem dúvida este curso é o primeiro de muitos que virão”, finaliza a delegada.