Lavagem de dinheiro é pouco apurada no Piauí, diz delegado geral


A Polícia Civil do Piauí criou, por meio de portaria publicada esta semana, a Delegacia de Combate à Lavagem de Dinheiro e a Corrupção. O combate a crimes dessa natureza funcionava em uma divisão dentro do Grupo de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Greco) e agora terá mais autonomia e recursos próprios.

“Entendemos que ela deveria constituir uma unidade autônoma. Até porque essa é uma vertente nacional”, disse o delegado geral da Polícia Civil, Luccy Keiko. A orientação foi dada há cerca de um mês em uma reunião nacional realizada no Rio de Janeiro, que reuniu chefes de polícia civil de todos os estados.

“A lavagem de dinheiro é um delito ainda não muito apurado aqui no Piauí e é algo que não podemos destoar dos outros estados”, disse Keiko.

Dois delegados e sete policiais passam a compor a nova delegacia. Um laboratório de lavagem de dinheiro funciona em parceria com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) analisando eventuais licitações suspeitas. Quando registrados, os casos mais simples serão encaminhados para as delegacias competentes para abertura de inquéritos. Os casos mais complexos serão tratados pela delegacia especializada.