Lava-Jato: procuradores do Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba recebem prêmio internacional

Associação internacional de procuradores reconhece trabalho de membros do MPF


Membros do Ministério Público Federal (MPF) das forças-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, no Paraná e no Distrito Federal tiveram seu trabalho reconhecido em escala global pela International Association of Prosecutors (IAP), única organização mundial de membros do Ministério Público, que os agraciou com o “Special Achievement Award” (Prêmio por Realização Especial).

Entre os 49 membros premiados, estão os procuradores regionais da República Carlos Aguiar e José Augusto Vagos, do MPF na 2ª Região (RJ/ES), e procuradores do MPF em Brasília (17 membros), Curitiba (20) e Rio de Janeiro (10). A cerimônia de premiação acontecerá em setembro, em Joanesburgo, na África do Sul, na 23ª Conferência da IAP, cujo tema é “Independência do Ministério Público – o pilar da justiça para a sociedade”.

Criada na Organização das Nações Unidas (ONU) e sediada em Haia, a IAP é uma associação não governamental que desde 1995 fomenta a cooperação internacional no combate à criminalidade transnacional. A cada ano, a IAP premia membros do Ministério Público com destaque internacional na garantia da Justiça e reúne procuradores especialistas numa ampla gama de investigações para trocar experiências sobre soluções jurídicas em áreas como crimes cibernéticos, lavagem de dinheiro, crime organizado e tráfico de pessoas.

Premiação anterior – A premiação aos membros das forças-tarefa da Lava Jato é a segunda da IAP a membros do MPF. Em 2014, o grupo de trabalho Justiça de Transição, do MPF no Rio de Janeiro, obteve o “Special Achievement Award” pela atuação na defesa dos direitos humanos. Na ocasião, foi reconhecido o trabalho do procurador regional Luiz Fernando Lessa, do MPF na 2ª Região, e quatro procuradores da República do MPF/RJ.