Lava Jato: MPF denuncia ex-senador por corrupção passiva

Força-tarefa em São Paulo acusa Paulo Bauer, ex-parlamentar por Santa Catarina, de favorecer grupo empresarial no Senado


A Operação Lava Jato em São Paulo apresentou denúncia à Justiça contra dez pessoas suspeitas de integrarem esquema para favorecer os interesses do grupo Hypermarcas no Senado Federal, entre 2013 e 2015. Entre eles está o empresário Paulo Bauer, senador pelo PSDB, teria recebido indevidamente R$ 11,8 mi com a ajuda de um assessor parlamentar.

Segundo o Ministério Público Federal, autor da denúncia, esse valor foi transferido em parcelas por meio de contratos fraudulentos firmados com as empresas empresas da área de informática, advocacia e pesquisa e análise, entre outras.

Além de Bauer e seu assessor, foram denunciada outras 8 pessoas.

A ação penal é resultado das investigações feitas a partir do acordo de colaboração firmado com Nelson José de Mello, ex-diretor de relações institucionais da Hypermarcas. Ele apresentou provas que corroboram seus depoimentos, incluindo cópias de contratos fictícios, sem a devida contraprestação de serviços, e uma linha do tempo que mostra a correlação entre os pagamentos feitos para Paulo Bauer e a tramitação de proposta de emenda constitucional de sua autoria no Senado. A PEC 115/2011, arquivada em 2018, alterava o regime tributário sobre medicamentos de uso humano.

R7 não conseguiu localizar Paulo Bauer na noite desta quarta para que pudesse comentar a denúncia. No início de fevereiro, ele se desligou do cargo que ocupava na Casa Civil, do governo federal.

Fonte: R7