Lava Jato em SP denuncia Temer por lavagem de dinheiro

Foram acusados o ex-presidente e uma das filhas dele, Maristela Temer, além do coronel Lima e da mulher dele. Apuração mirou reforma em casa de Maristela


Os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo denunciaram à Justiça Federal nesta terça-feira, 2, o ex-presidente Michel Temer, a psicóloga Maristela Temer, filha do emedebista, o coronel reformado da PM João Baptista Lima Filho, amigo do ex-mandatário há 30 anos, e a mulher de Lima, Maria Rita Fratezi. Temer e os demais denunciados são acusados do crime de lavagem de dinheiro, supostamente praticado por meio de uma reforma na casa de Maristela, custeada por uma empresa de Lima com dinheiro de propina.

A denúncia apresentada hoje pelo MPF é um desdobramento do chamado inquérito dos portos, que investigou o suposto pagamento de vantagens indevidas a Temer por empresas do setor portuário em troca de benefícios em um decreto editado pelo então presidente em maio de 2017.

O caso tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF), mas foi remetido à primeira instância da Justiça paulista depois que Temer deixou a presidência e perdeu o foro privilegiado.