Juiz e empresário são presos na PF em operação “Mercadores”

Ação acontece ainda nos estados da Bahia, Minas Gerais e DF. 63 policiais reforçam operação no Piauí.


A Polícia Federal deflagrou nas primeiras horas da manhã desta sexta (19) a operação Mercadores nos Estados do Piauí, Bahia, Minas Gerais e Distrito Federal. O objetivo é cumprir dez mandados de prisão contra acusados de grilagem de terras nas quatro unidades da federação. 
 
Segundo a assessoria da PF, 63 policiais de outros Estados estão dando reforço à ação no Piauí. Os presos já começaram a chegar na sede do órgão e foram presos no interior do Estado e também na capital. 
 
O juiz preso na operação Mercadores da PF é da comarca de Parnaguá, Carlos Henrique Teixeira. Ele é acusado de participar da quadrilha que praticava grilagem de Terra em Piauí e outros Estados.
 
A PF fez a prisão em Parnaguá e o juiz está sendo trazido a Teresina de avião. Ele deve se apresentar logo mais no TJ para o desembargador Luiz Gonzaga Brandão. 
 
O TJ concede coletiva com a presença de promotores e procuradores que acompanham o caso. A investigação foi iniciada há quase um ano e houve quebra de sigilo telefônico. 
 
O advogado Franklin Oliveira, que defende o policial civil afastado Cecílio Oliveira Cruz, disse à imprensa que seu cliente está tranquilo e que foi apenas detido para investigação. “Não existe acusação formalizada. Ele está tranquilo”, declarou. 
 
Cecílio foi encaminhado para a sala do Núcleo de Operações da PF na Superintendência, onde passou 15 minutos e em seguida foi encaminhado para o IML e levado para a Casa de Custódia. 
 
A Polícia Federal confirmou em nota a prisão de um juiz do Piauí envolvido em venda de liminares e sentenças. A operação “Mercadores” está cumprindo 10 mandatos de prisões no Piauí, em Correntes, Parnaguá, Barreira/BA, governador Valadares/MG e Distrito Federal/DF. Um empresário do Sul do Estado e um agente afastado da Polícia Civil também foram presos na operação que deu início na manhã desta sexta-feira (19).
 
Ele é acusado de crime de grilagem de terra nos municípios de Corrente e Parnaguá. O policial afastado da Polícia Civil, identificado como Cecílio Oliveira Cruz, foi preso em sua residência na Vila Mediterrâneo, na Raul Lopes, ele bacharel em Direito e há sete anos está afastado da corporação, seu processo está sub judice. 
 
Além do policial há a confirmação de empresários, lobistas, um advogado e um magistrado também envolvidos no esquema. Ao todo, foram 10 mandados de prisão, quatro de condução coercitiva e 19 de busca e apreensão expedidos pelo desembargador Luiz Gonzaga Brandão.
 
As prisões acontecem em Corrente, Parnaguá, Barreiras (BA), Governador Valadares (MG) e DF. 
 
O grupo é investigado por grilagem de terras, falsidade documental, estelionato, venda de liminares e sentenças, tráfico de influência, corrupção ativa e passiva. De acordo com a assessoria da PF, os presos se apossavam de terras do governo para vendê-las. 
 
Além dos 63 policiais, atuam no caso um promotor de Justiça do Ministério Público e um juiz estadual. 
 
Como a polícia está agindo em parceria com o Tribunal de Justiça, a coletiva será às 11h no pleno do TJ.
 
Nota da PF
 
A Superintendência da Polícia Federal no Estado do Piauí, em conjunto com o Ministério Público Estadual (GAECO-Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado) e o Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, deflagrou nesta manhã a “Operação Mercadores”, a qual tem por finalidade dar cumprimento a 10 (dez) mandados de prisão, 04 (quatro) mandados de condução coercitiva, e 19 (dezenove) mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo excelentíssimo desembargador Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho no âmbito de Inquérito Judicial, no qual é investigado grupo criminoso especializado na grilagem de terras, falsidade documental, estelionato, venda de liminares e sentenças, tráfico de influência, corrupção ativa e passiva. Dentre os presos há empresários, lobistas, um advogado e um Magistrado do Estado do Piauí.
 
Os mandados foram cumpridos nas cidades de Correntes/PI, Parnaguá/PI, Barreira/BA, Governador Valadares/MG e Distrito Federal/DF. Participaram diretamente do cumprimento das medidas 63 (sessenta e três) Policiais Federais, além de 01 (um) Promotor de Justiça do GAECO/MPE/PI, designado pelo Procurador Geral de Justiça, e 01 (um) Juiz Estadual designado pelo TJ/PI.    
 
Logo mais às 11:00 horas, no auditório do Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, com endereço na Praça Des. Edgard Nogueira, nesta Capital, será concedida uma coletiva a toda a imprensa piauiense.