Investigações sobre lavagem de dinheiro e sonegação estão em andamento


Atualmente, os sócios da A3 Entretenimento estão sendo investigados “exclusivamente em relação aos crimes de lavagem de dinheiro (em razão de ocultação de patrimônio) e sonegação fiscal”. A informação é do procurador da República Rômulo Conrado, do Núcleo Criminal do Ministério Público Federal no Ceará.

Em entrevista ao O POVO, Rômulo Conrado afirmou que “não foram encontradas quaisquer evidências ou indícios mínimos do cometimento de delitos como tráfico de drogas ou homicídios”. Denúncia que circulou na Internet há duas semanas e que incluía também o suposto crime de estupro contra Solange Almeida.

A apuração sobre supostos crimes de tráfico de drogas e homicídios foi motivada por uma denúncia de uma pessoa que teria sido ligada à banda Aviões do Forró. “As investigações ganharam reforço a partir de busca e apreensão de documentos. Nada tendo sido colhido que apontasse para os crimes inicialmente reportados, além daqueles aos quais me referi acima”, afirmou o procurador.

Quanto a situação fiscal da A3 Entretenimento, Rômulo Conrado explica que “não houve exatamente pagamento do que deviam, mas sim o parcelamento de débitos e a retificação de declarações anteriormente prestadas, contemplando novos valores omitidos ao Fisco”.

O POVO entrou em contato com todos os atuais sócios da banda Aviões do Forró e com Solange Almeida. Enviou perguntas para cada um dos envolvidos na ação judicial. Além de fazer contatos, também, com advogados das pessoas citadas aqui. Até o fechamento desta edição não houve retorno.