Inoperante


Inoperante

Com a prisão ontem do ex-assessor especial Tadeu Filippeli, a Lava Jato já abateu três operadores políticos de Temer – os outros são Rocha Loures, o deputado da mala, e o ex-assessor José Yunes, o primeiro a cair em dezembro. O presidente está ficando sem gente para atuar em seu nome. Se já era difícil aprovar reformas com o Planalto atuando a mil nos bastidores, imagine-se agora com o aparato político desmontado. Noves fora o fato de Temer não ter cabeça para pensar em mais nada além das investigações que se fecham em torno dele. O governo não chegou a descarrilhar, mas vai parando aos poucos como um trem após a freada brusca.

Ficha não cai

A ficha da ingovernabilidade ainda não caiu no empresariado, que segue apostando na aprovação das reformas. Com o governo quase inoperante, os reformistas voltaram suas expectativas para os presidentes do Senado e da Câmara, que prometeram empenho. Eunício de Oliveira e Rodrigo Maia não têm como garantir votos para nada. Mas, os empresários preferem apostar no improvável a aceitar o fim do governo. Tanto é que nenhuma entidade empresarial até agora pediu a renúncia de Temer.

Os vulneráveis

Um estudo da AML Consulting, especializada em “serviços de prevenção à lavagem de dinheiro”, apontou 714 mil pessoas e empresas envolvidas em algum tipo de lavanderia financeira. Nesse universo, nada menos que 281 mil, ou 40%, são Pessoas Expostas Politicamente, como são chamados os ocupantes de funções públicas e seus familiares ou próximos. Os PEPs são os mais vulneráveis à corrupção. E no Brasil, essa turma é agigantada pela prática corriqueira de nomeação em cargos de confiança.

Mais embaixo

Há outros dados interessantes no estudo da AML. Por exemplo: os cargos mais vinculados a crime de corrupção seriam os de prefeito, vereador e deputado federal. Dos prefeitos e vices eleitos em 2016, 16,5% estariam metidos em algum rolo, assim como 3,6% dos vereadores. Isso é o pessoal já citado em algum ato ilícito. O que não quer dizer que os demais andem certo.

Mineiraria

O governo começa nesta quinta-feira a reconhecer o status e a importância da gastronomia mineira com o lançamento de um programa de valorização da produção estadual. Além de centralizar recursos envolvidos na área, o + Gastronomia prevê um espaço para debates, aulas, exposição e venda de produtos: a Mineiraria, ou Casa da Gastronomia Mineira, já quase pronto.

 

 

Destino selado

O recurso de Rodrigo Janot pedindo ao pleno do STF para analisar a prisão preventiva de Aécio Neves está amparado em farta documentação que evidencia obstrução da Justiça. E tudo indica que Cármen Lúcia vai pautar logo a matéria. Os prognósticos são de que Aécio não demora a ser preso.

Boca do balão

Foi um tremendo sucesso de público a inauguração, anteontem, da nova sede, em BH, da Fundação Ulysses Guimarães, do PMDB. Em meio ao maremoto político no país, o evento atraiu tantos prefeitos, vereadores, deputados e militantes peemedebistas que mal se podia mexer no recinto. A organização perdeu a conta de participantes quando o número passava de 470.