Governo suspende por mais 30 dias as licitações na Valec

Valec é a estatal de ferrovias ligada ao Ministério dos Transportes. Mais de 20 servidores foram demitidos nos Transportes após denúncias.


O governo federal oficializou a suspensão, por mais 30 dias, de "todos os procedimentos licitatórios de projetos, obras e serviços de engenharia" em andamento na Valec, estatal do setor ferroviário ligada ao Ministério dos Transportes. A medida já havia sido anunciada na semana passada, mas foi publicada na edição desta terça-feira (9) do "Diário Oficial da União".

A medida foi assinada pelo diretor presidente interino da Valec, Antônio Felipe Sanchez Costa, e atinge ao menos quatro concorrências, conforme descrito no "Diário Oficial".

O presidente da Valec, José Francisco das Neves, foi afastado do cargo em 2 de julho, depois de denúncias de superfaturamento de obras e de ser revelado um suposto esquema de recebimento de propina de construtoras.

Na sexta-feira passada (5), o governo anunciou que seriam retomadas as licitações no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O Ministério dos Transportes informou que as assinaturas pelo Dnit de licitações e contratos de aditivos para novas obras e para aquelas que impliquem em impacto financeiro terão antes que passar pela análise do ministério.

Crise nos Transportes

Denúncias de corrupção deflagraram uma crise no Ministério dos Transportes e em órgãos vinculados, como o Dnit e a Valec. As acusações tiveram como saldo a demissão ou o afastamento de mais de 20 funcionários que ocupavam cargos estratégicos na pasta desde o começo de julho.

Os cortes atingiram principalmente servidores que atuavam nas áreas de operações, administração e análise técnica e pessoas ligadas ao PR, partido do ex-ministro Alfredo Nascimento, que deixou o cargo em função das denúncias. As primeiras denúncias de irregularidades foram publicadas pela revista “Veja” em 2 de julho.