FMI lamenta falta de ”avanços reais” nos EUA sobre empresas fantasma

AFP - Agence France-Presse


O FMI lamentou nesta terça-feira a ausência de um "verdadeiro avanço" nos Estados Unidos para garantir a transparência das empresas "fantasma", acusadas de favorecer lavagem de dinheiro.

"Não houve um avanço real", estimou o Fundo Monetário Internacional (FMI) em um informe sobre os Estados Unidos.

Vários estados norte-americanos, particularmente Delaware, no leste do país, autorizam a criação de sociedades sem exigir que o nome do beneficiário seja identificado, o que as coloca fora do alcance das autoridades judiciais ou fiscais.

"Há muito tempo sabemos que as empresas dos Estados Unidos podem ser utilizadas para efeitos de lavagem de capitais e crimes relacionados", disse o FMI em anexo ao seu relatório anual sobre a economia dos Estados Unidos.

O famoso traficante de armas russo Viktor Mas usou este método para apagar seus rastros, assim como o ex-empresário e lobista americano Jack Abramoff, que foi condenado em 2006 a quase seis anos de prisão por corrupção, entre outros exemplos.

Para acaber com estas práticas, o FMI pede que as autoridades norte-americanas criem "urgentemente" registros das empresas revelando a identidade de seus beneficiários reais aos quais as autoridades possam ter acesso.

Segundo o FMI, todos os estabelecimentos – financeiros ou não – que ajudam a criar estas empresas também deveriam identificar seus membros reais e adotar "medidas razoáveis" para verificar a autenticidade da informação.

O projeto de orçamento para 2015 da administração Obama fez recomendações sobre este assunto, mas o tema permaneceu letra morta, assim como um projeto de lei apresentado periodicamente no Congresso dos Estados Unidos.