Ex-reitor da Ulbra é condenado por crime de lavagem de dinheiro

Ex-reitor da Ulbra é condenado por crime de lavagem de dinheiro


A 7ª Vara Federal de Porto Alegre condenou Ruben Becker, ex-reitor da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), e a filha dele, Ana Lúcia Becker, pelo crime de lavagem de dinheiro.

Outras três pessoas também haviam sido acusadas, mas acabaram absolvidas. A sentença foi proferida na quarta-feira (17) pelo juiz federal Guilherme Beltrami.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o grupo de Becker usou diversos artifícios para ocultar ou tentar regularizar a origem de valores desviados da instituição de ensino. Entre os atos praticados estariam a realização de aplicações e de movimentações financeiras por meio de uma conta bancária em nome de uma neta do ex-reitor, a compra e venda de uma fazenda, e a aquisição de dois veículos de luxo. Os bens teriam sido registrados em nome de empresas ou de terceiros.

Em outra ação, Becker e outras pessoas respondem pelo desvio de mais de R$ 6 milhões recebidos pela Ulbra da prefeitura de Canoas.

Becker e Ana Lúcia foram condenados a pena de reclusão em regime semiaberto. Ele foi condenado a cinco anos e três meses e ela a quatro anos, dois meses e 20 dias. Cabe recurso da decisão ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Procurada pela reportagem, a defesa do ex-reitor e da filha dele informou que irá recorrer da decisão da Justiça. Já a Associação Educacional Luterana do Brasil (Aelbra), mantenedora da Ulbra, afirmou por meio da assessoria de imprensa que não irá se manifestar sobre a sentença.