Ex-presidente da CBF, José Maria Marin é condenado pela justiça dos EUA

A investigação contra José Maria Marin e outros membros do futebol mundial teve início em 2015


José Maria Marin, presidente da CBF entre 2012 e 2015, foi sentenciado a 4 anos de prisão nesta 4ª feira (22.ago.2018), por decisão da Corte Federal do Brooklin, no Distrito Leste de Nova York.

Além da reclusão, o ex-mandatário terá de pagar multa equivalente a R$ 4,9 milhões e teve confiscado o valor de R$ 13,6 milhões. As informações são do Globoesporte.com.

A sentença remete à deliberação de dezembro do ano passado do tribunal. A Corte considerou Marin culpado de 6 dos 7 crimes em que era acusado:

  • 3 por fraude bancária;
  • 2 por lavagem de dinheiro;
  • 1 por organização criminosa.
  • Os crimes ocorreram nos torneios Copa Libertadores da América, Copa do Brasil e Copa América enquanto Marin presidiu a entidade.

Desde então, o ex-presidente esteve preso na penitenciária MDC, no Brooklin. Antes, a partir de 2015, passou a cumprir prisão domiciliar a pedido dos investigadores dos EUA, onde permaneceu em seu apartamento de luxo na Trump Tower.

O júri popular também condenou Juan Angel Napout, ex-presidente da CONMEBOL (Conferedação Sul-Americana de Futebol) e da Associação Paraguai de Futebol, por fraude bancária e organização criminosa.