Ex-gerente que planejou furto milionário em loja de shopping pagou 1 ano de aluguel adiantado e promoveu festas

Declaração do suspeito de 28 anos consta no inquérito policial. Investigação aponta que ele cometeu crime ao lado de jovem de 18 anos. Ambos respondem em liberdade em MS.


Roupas novas, festas, um ano de aluguel adiantado e eletrônicos de última geração, tudo comprado logo após o furto em uma loja de departamentos, do Shopping Campo Grande. Além dos R$ 50 mil investidos em cosméticos, este foi o destino do dinheiro levado pelo ex-gerente do local, de 28 anos, e o companheiro dele, um jovem de 18 anos.

Em um primeiro momento, ele prestou declarações informações e chegou a comentar que uma das festas foi em um motel da cidade, regada a cocaína e garotos de programa, inclusive de outros estados, conforme a investigação. Já em depoimento formal, na Delegacia Especializada de Repressão à Roubos e Furtos (Derf), o homem disse que “não tinha controle sobre o dinheiro, apenas viu que era um valor alto, algo maior do que R$ 100 mil, pois tinha visto a nota da transportadora de valores”.

“Além de investir em torno de R$ 50 mil nos cosméticos, ele gastou cerca de R$ 10 mil em produtos eletrônicos, como computadores e impressoras de última geração, que já foram recuperados pela polícia. Ele falou das roupas e inclusive encontramos muitas peças novas na casa dele, porém não é possível afirmar se foram compradas antes ou depois do furto. Ele também falou que promoveu festas e pagou o aluguel adiantado”, afirmou ao G1 o delegado Fábio Brandalise, responsável pelas investigações.

A investigação, até o momento, também não encontrou indícios da participação de uma terceira pessoa no crime. “O inquérito ainda está em andamento, caminhando. Temos 30 dias. O suspeito mais velho é o mentor intelectual do crime e pretendia ser empresário, começar um negócio com o dinheiro do crime, sendo que já tinha até distribuído parte dos produtos. Grande parte foi recuperado e os envolvidos indiciados”, explicou Brandalise.

Buscas na casa
A dupla foi detida na casa deles, no bairro Guanandi, no dia 30 de agosto. Além das caixas fechadas com centenas de cosméticos, eles foram flagrados com 17 celulares da loja e R$ 8.437 em espécie.

“Nós encontramos diversas caixas, ainda lacradas, com os cosméticos que eles compraram com o dinheiro do furto. A investigação aponta que esta é a forma que eles pretendiam lavar o dinheiro e não serem descobertos. Agora, as buscas continuam no sentido de recuperar o restante do produto do crime”, ressaltou na ocasião o delegado.

Durante a fase de identificação da dupla, a polícia trabalhava com duas hipóteses. A primeira delas é que se tratava de “uma dupla extremamente profissional”. Já a outra seria do envolvimento de ex-funcionário, o que foi confirmado com a prisão do suspeito de 28 anos. Por não se tratar de flagrante, eles respondem em liberdade. “Estamos avaliando pedir a prisão preventiva”, falou o delegado.

A pena para furto qualificado chega a 5 anos de prisão. Já a lavagem de dinheiro tem pena máxima de 10 anos, além de multa.

Entenda o caso
O crime ocorreu na madrugada do dia 16 de agosto, data em que o boletim de ocorrência foi registrado. Na ocasião, bandidos estavam encapuzados e levaram ferramentas para o crime. Policiais e peritos estiveram no local, realizando levantamentos e recolhendo imagens de circuito interno.

Em nota, a assessoria de imprensa do shopping “esclareceu que houve uma ocorrência e que as autoridades competentes foram acionadas”.