Ex-funcionários de aeroporto de Nova York são acusados de tráfico de drogas


Dois ex-funcionários do aeroporto nova-iorquino JFK foram acusados hoje de criar e manter um sistema que permitia introduzir cocaína e maconha nos Estados Unidos através de aviões comerciais que procediam de países caribenhos.
 
As autoridades americanas detalharam hoje que Victor Bourne, um ex-funcionário da American Airlines, de 35 anos, que trabalhava na gestão em terra de bagagem, e seu superior Miguel Bozza, barbadiano de 48 anos, chegaram a introduzir no país, pelo menos, 150 quilogramas de cocaína e mais de 5,5 mil de maconha.
 
Segundo a acusação, assim que os aviões chegavam ao JFK, Bozza entregava as malas com substâncias ilícitas para seu cúmplice e este retirava sem atrair a atenção das autoridades.
 
A mãe de Bozza, Maria Alleyne Bourne, também foi acusada de colaborar. As autoridades acreditam que o plano foi realizado no período entre 2000 e 2009.