Ex-executivo do Citibank é preso por suspeita de desviar US$ 19,2 milhões

Ex-vice-presidente da tesouraria do banco, Gary Foster, diz que é inocente. Se for condenado, ele pode pegar 30 anos de prisão.


O ex-vice-presidente da tesouraria do Citibank, Gary Foster, foi preso domingo (26) por suspeita de usar contratos e números falsos de contas para desviar um total de US$ 19,2 milhões para sua conta. Ele declarou inocência.

Foster foi preso no aeroporto internacional de Nova York, quando chegava de Bangcoc, Tailândia. Ele é acusado de ter desviado dinheiro de várias contas do Citigroup para a conta particular dele em outro banco, o JP Morgan, entre maio de 2009 e dezembro de 2010.

Segundo a acusação, ele aproveitou-se dos conhecimentos em operações dentro do banco para que as transferências não fossem percebidas. A fraude foi descoberta depois de uma auditoria.

Nesta segunda-feira (27), Foster se declarou inocente. Pagou US$ 800 mil de fiança para aguardar o julgamento em liberdade. Ele pode pegar até 30 anos de prisão.

Na semana passada, o Citibank descobriu que hackers haviam roubado US$ 2,7 milhões de cartões de crédito de clientes americanos

. Segundo o banco, todos serão reembolsados.